SEJAM BEM VINDOS

"Caros companheiros, esse espaço é dedicado a textos políticos, históricos e filosóficos como também para as ações do Nosso Mandato Popular.
Leia, discuta, critique e divulgue nossa luta."
Profº Glauber Robson

Acompanhe o Mandato do Prof. Glauber no YouTube

Loading...

sábado, 26 de setembro de 2009

Considerações sobre o caso Secretaria de Educação.

CARTA AO POVO DE PACAJUS.
Caro conterrâneo, venho através destas breves palavras trazer a você minha total indignação e protesto quanto a falta de clareza com a qual foi conduzida a apuração das denúncias de suposto superfaturamento dos recursos do PDDE, Programa Dinheiro Direto na Escola. Esclareço que cumpri o meu papel de parlamentar eleito com o voto do povo pacajuense, solicitei através de requerimento que a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Pacajus convocasse o Secretário de Educação do município para prestar esclarecimentos sobre a denúncia feita a ele em uma emissora de TV local. Porém quando posto em votação o requerimento foi reprovado, apenas dois vereadores: Professor Glauber e Joseilton optaram pela investigação do fato.
O dinheiro do programa PDDE, é um dinheiro público e a nosso ver o dinheiro público deve ser tratado com zelo e responsabilidade, não queremos aqui fazer acusações a ninguém, mas por que não INVESTIGAR? Por que deixar pra lá como se nada tivesse acontecido? Foram feitas denúncias e por que não apurá-las? Do que o Secretário está se escondendo? Caro leitor tenho tido o Maximo cuidado procurando ser justo em minhas posições na Câmara Municipal. O que é do bem de nossa gente temos votado com prazer e o que a nosso ver é prejudicial temos tentado negociar e chegar a um consenso e votado contra quando não é do bem de todos, quebrando uma tradição de beneficiar apenas alguns grupos de nossa cidade. Estivemos presentes na luta por um horário justo para os Profissionais da Educação, fomos enérgicos em busca de melhorar o Estatuto dos Servidores Municipais, ampliando os direitos destes. Lutamos para barrar artigos que julgamos danosos na Lei que trouxe de volta a Previdência Municipal. Discutimos e conseguimos alterar o texto original do Código de Posturas do Município que a nosso ver prejudicaria o comércio local.
Por isso me senti na OBRIGAÇÃO de lhe trazer o meu sentimento que é de indignação e tristeza, mas com o coração cheio de esperança de que juntos ainda vamos construir um Pacajus transparente e com amplo acesso da população aos gastos públicos. Lembre-se leitor o que é público é de TODOS, não é daqueles que administram. Os agentes públicos têm a obrigação de cuidar do que é do POVO. A obrigação de um governante é cuidar bem do seu povo. É o que vamos continuar cobrando da atual administração, que possa cumprir seu papel de agente público.
Espero ter sido claro e objetivo nestas curtas palavras, aqueles que acreditaram e acreditam no nosso trabalho tenham a certeza de que continuaremos juntos lutando, construindo dia-a-dia um Pacajus melhor. Jamais nos tornaremos indiferentes ante qualquer injustiça! Até a vitória sempre.
Professor Glauber Robson, Vereador do Partido dos Trabalhadores.
Entre em contato conosco. Email: professorglauber13500@hotmail.com ou (85) 8899-7430. Visite também nosso Blog: www.professorglauber13500.blogspot.com

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Carta a Juventude Pacajuense.

Tenho feito muitas reflexões sobre os sonhos e os desafios de nossos jovens. Lembro-me de um pensamento do grande revolucionário argentino de nascimento e cidadão do mundo por sentimento, Che Guevara: “A argamassa fundamental de nossa obra é a Juventude, nela depositamos nossa esperança e o preparamos para tomar de nossas mãos a nossa bandeira de luta”

Então, faço a seguinte pergunta: A juventude realmente está sendo a argamassa de nossa obra? Realmente depositamos nela esperança? Estamos preparando nossos jovens para assumir postos importantes? A resposta das três perguntas é não!

No atual cenário sócio-político-econômico em que atuamos, o jovem carrega o peso da transitoriedade, por isso não é percebido como agente político. Não participa ativamente das decisões, sendo submetidos a planos inferiores. Um grave erro! Que cria uma juventude inerte, incapaz de reconhecer e lutar por seus direitos e se sujeitando a migalhas e favores onde na verdade são direitos garantidos e inalienáveis que são dados a conta gotas.

O que é ser jovem no Brasil hoje?

É pertencer a um grupo de cerca de 40 milhões de pessoas, ou seja, 20% da população do país. É está ligada de alguma forma ao mundo do trabalho, pois de cada 10 jovens entre 15 e 24 anos, 7 estão trabalhando ou buscando trabalho. É cumprir uma longa jornada de trabalho associada aos estudos.

É fazer parte daqueles que tem como maior preocupação o desemprego e a violência. É uma imensa massa que é jogada a segundo plano, por está em formação.

No entanto, você jovem tem que se conscientizar do seu papel, papel de “produtor do mundo”, ou seja, capaz de criar condições reais de desenvolver-se. Lutar por espaços dignos que levem você a um crescimento, a mudar o quadro atual.

Como fazer isso?

Se organizando. Nas palavras de Chico Sciense: “eu me organizando posso desorganizar”. Desorganizar o quê? Esse sistema sócio-político- econômico que nos sujeitos aos piores lugares.

A história já mostrou que quando os jovens se organizam as estruturas tremem. Veja o papel da UNE na luta contra a falta de Nacionalismo quando tentaram impedir a criação da PETROBRÁS em 1953. Na luta pela democracia nos anos de chumbo, no Fora Collor, o último grande embate, onde expulsamos um presidente. A história prova a força que os jovens têm.

Lanço uma pergunta especificamente à juventude Pacajuense:

Como você está sendo tratado pelo poder público?

Onde estão os espaços de lazer? Teatro? Dança? Skate? Futebol? Educação? Cadê o cursinho?

Vou parar são tantas perguntas, minha revolta aumenta!

Só mais uma pergunta: VOCÊ VAI FICAR AÍ PARADO OU VAI SER A REVOLUÇÃO EM PESSOA?

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Independência mesmo que tardia!

Neste mês de setembro completamos 187 anos de independência política. Com muitos questionamentos a fazer, o que é mesmo Independência? Somos mesmo independentes?
Para responder tais questionamentos é necessário colocarmos alguns pontos: nosso país foi durante 322 anos colônia de exploração portuguesa, ou seja, os portugueses daqui só retiravam riquezas, não havia investimento no território brasileiro. Depois da "Independência", ficamos ainda sob o julgo de uma elite luso-brasileira e com um governo imperial, enquanto nossos vizinhos tornaram-se independentes e logo constituiram governos republicanos.
Tal fato atrasou nossa luta democrática e republicana. Em 1889, venho a sonhada República, através de um golpe patrocinado pelas elites, entada-se por elites caro leitor, aqueles grupos que concentram em suas mãos a riqueza do Brasil enquanto a maioria da população amarga as piores condições. Desde então vivemos reféns destes grupos que lucram com a miséria de nossa gente.
Mas não pretendemos aqui dar uma aula de história. Queremos refletir sobre Independência. Independência é ter um povo que tenha acesso a saúde, educação de qualidade capaz de fazer o individuo pensar e refletir os problemas, é ter acesso a moradia digna, trabalho e lazer.
Então pergunto: Somos independentes? Não!
Desde 2003, com o Governo do Presidente Lula iniciamos uma verdadeira independência das CAMADAS MAIS POBRES do Brasil, com investimentos enérgicos na distribuição de renda, educação e crédito para os brasileiros.
Mas temos muito, muito a conquistar, independência é liberdade e a liberdade se conquista um dia por vez, temos conquistas a fazer e não podemos parar um momento, lutar conquistar vencer os obstáculos, lado a lado com a família os amigos. Para avançar nas conquistas precisamos nos organizar nos bairros, sindicato.s, nas associações nos grêmiso estudantis e garantir nossa verdadeira e definitiva Independência
.
NO NOSSO PRÓXIMO TEXTO ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE O PRÉ-SAL.
AGUARDE!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

REFLEXÕES SOBRE A CRISE POLÍTICA BRASILEIRA - II

Olá caro leitor, continuaremos nossas reflexões sobre a atual crise política que afeta nosso país, vivemos um complicado. No entanto precisamos cumprir nosso papel de informar e discutir sobre o atual quadro. A iminência de uma eleição nos coloca a seguinte pergunta: O que realmente a oposição ao governo Lula quer com a CPI da PETROBRAS? Com a polêmica em torno das denúncias a José Sarney? Observe bem os dados que seguem: a Petrobrás é a sétima empresa do mundo, ela descobriu as reservas do Pré-Sal. Isso significa muitas riquezas que estão a quilometros no fundo do mar. Para isso a Petrobras precisa de recursos para investir na extração dessas riquezas e esses recursos virão justamente dos investidores que comprarão ações da empresa. Porém a jogada da oposição, representada principalmente pelo PSDB e o DEM ex- PFL. É forjar uma CPI que criará um descrédito da nossa estatal do petróleo fazendo com que o valor das ações da PETROBRAS caiam e assim o governo precisará vender parte significativa da empresa para poder explorar o PRÉ-SAL. Por isso o governo tenta barrar a CPI, que seria prejudicial ao país. Mas você nesse momento pode se perguntar, por que a oposição quer isso? Ora, eles são a favor da privatização, ou seja, querem vender as empresas que pertencem ao governo, que por sua vez são nossas.
Vale ressaltar que os recursos do Pré-Sal irão principalmente para educação e distribuição de renda do país o que é demais para a elite brasileira, usar riqueza para educar filho de pobre e dá condições para tirar miseráveis da indigência. Eles não querem distribuir renda pois precisam de gente pobre e mal- educada para continuar comprando votos e reproduzindo esse sistema.
E o Sarney? Esse não precisamos comentar muito, todos sabemos que é um político velho viciado, acostumado a se beneficiar do poder, transformou o Estado do Maranhão em um Feudo Medieval, mesmo com tantos recursos naturais a sua disposição. Desde a Ditadura Militar ele vem se metamorfoseando e sugando o que é público direta ou indiretamente. Por isso merece nosso total repúdio. No entanto algo precisamos esclarecer: o PMDB, partido ao qual Sarney pertence e é uma grande liderança, é o maior do país e portanto um aliado precioso para as eleições de 2010. É o que podemos definir como um mal necessário para que o PT possa continuar revolucionando o país com investimentos na educação, saúde, moradia e principalmente distribuição de renda. Então não vamos nos iludir, rasgue o véu da imprensa elitista e lute para que o Brasil possa continuar crescendo e se tornando cada vez mais um País de Todos! SALVE LULA!