SEJAM BEM VINDOS

"Caros companheiros, esse espaço é dedicado a textos políticos, históricos e filosóficos como também para as ações do Nosso Mandato Popular.
Leia, discuta, critique e divulgue nossa luta."
Profº Glauber Robson

Acompanhe o Mandato do Prof. Glauber no YouTube

Loading...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O Brasil Vai Seguir Mudando!

Caro leitor, reproduzimos aqui neste espaço democrático o primeiro discurso, da primeira mulher eleita Presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

Agradeço a cada um de vocês que nos ajudou nesta luta! Segue o Discurso da nossa Primeira Presidente Eleita::


Minhas amigas e meus amigos de todo o Brasil,

É imensa a minha alegria de estar aqui. Recebi hoje de milhões de brasileiras e brasileiros a missão mais importante de minha vida. Este fato, para além de minha pessoa, é uma demonstração do avanço democrático do nosso país: pela primeira vez uma mulher presidirá o Brasil. Já registro portanto aqui meu primeiro compromisso após a eleição: honrar as mulheres brasileiras, para que este fato, até hoje inédito, se transforme num evento natural. E que ele possa se repetir e se ampliar nas empresas, nas instituições civis, nas entidades representativas de toda nossa sociedade.
A igualdade de oportunidades para homens e mulheres é um principio essencial da democracia. Gostaria muito que os pais e mães de meninas olhassem hoje nos olhos delas, e lhes dissessem: SIM, a mulher pode!
Minha alegria é ainda maior pelo fato de que a presença de uma mulher na presidência da República se dá pelo caminho sagrado do voto, da decisão democrática do eleitor, do exercício mais elevado da cidadania. Por isso, registro aqui outro compromisso com meu país:
Valorizar a democracia em toda sua dimensão, desde o direito de opinião e expressão até os direitos essenciais da alimentação, do emprego e da renda, da moradia digna e da paz social.
Zelarei pela mais ampla e irrestrita liberdade de imprensa.
Zelarei pela mais ampla liberdade religiosa e de culto.
Zelarei pela observação criteriosa e permanente dos direitos humanos tão claramente consagrados em nossa constituição.
Zelarei, enfim, pela nossa Constituição, dever maior da presidência da República.
Nesta longa jornada que me trouxe aqui pude falar e visitar todas as nossas regiões. O que mais me deu esperanças foi a capacidade imensa do nosso povo, de agarrar uma oportunidade, por mais singela que seja, e com ela construir um mundo melhor para sua família. É simplesmente incrível a capacidade de criar e empreender do nosso povo. Por isso, reforço aqui meu compromisso fundamental: a erradicação da miséria e a criação de oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras.
Ressalto, entretanto, que esta ambiciosa meta não será realizada pela vontade do governo. Ela é um chamado à nação, aos empresários, às igrejas, às entidades civis, às universidades, à imprensa, aos governadores, aos prefeitos e a todas as pessoas de bem.
Não podemos descansar enquanto houver brasileiros com fome, enquanto houver famílias morando nas ruas, enquanto crianças pobres estiverem abandonadas à própria sorte. A erradicação da miséria nos próximos anos é, assim, uma meta que assumo, mas para a qual peço humildemente o apoio de todos que possam ajudar o país no trabalho de superar esse abismo que ainda nos separa de ser uma nação desenvolvida.
O Brasil é uma terra generosa e sempre devolverá em dobro cada semente que for plantada com mão amorosa e olhar para o futuro. Minha convicção de assumir a meta de erradicar a miséria vem, não de uma certeza teórica, mas da experiência viva do nosso governo, no qual uma imensa mobilidade social se realizou, tornando hoje possível um sonho que sempre pareceu impossível.
Reconheço que teremos um duro trabalho para qualificar o nosso desenvolvimento econômico. Essa nova era de prosperidade criada pela genialidade do presidente Lula e pela força do povo e de nossos empreendedores encontra seu momento de maior potencial numa época em que a economia das grandes nações se encontra abalada.
No curto prazo, não contaremos com a pujança das economias desenvolvidas para impulsionar nosso crescimento. Por isso, se tornam ainda mais importantes nossas próprias políticas, nosso próprio mercado, nossa própria poupança e nossas próprias decisões econômicas.
Longe de dizer, com isso, que pretendamos fechar o país ao mundo. Muito ao contrário, continuaremos propugnando pela ampla abertura das relações comerciais e pelo fim do protecionismo dos países ricos, que impede as nações pobres de realizar plenamente suas vocações.
Mas é preciso reconhecer que teremos grandes responsabilidades num mundo que enfrenta ainda os efeitos de uma crise financeira de grandes proporções e que se socorre de mecanismos nem sempre adequados, nem sempre equilibrados, para a retomada do crescimento.
É preciso, no plano multilateral, estabelecer regras mais claras e mais cuidadosas para a retomada dos mercados de financiamento, limitando a alavancagem e a especulação desmedida, que aumentam a volatilidade dos capitais e das moedas. Atuaremos firmemente nos fóruns internacionais com este objetivo.
Cuidaremos de nossa economia com toda responsabilidade. O povo brasileiro não aceita mais a inflação como solução irresponsável para eventuais desequilíbrios. O povo brasileiro não aceita que governos gastem acima do que seja sustentável.
Por isso, faremos todos os esforços pela melhoria da qualidade do gasto público, pela simplificação e atenuação da tributação e pela qualificação dos serviços públicos. Mas recusamos as visões de ajustes que recaem sobre os programas sociais, os serviços essenciais à população e os necessários investimentos.
Sim, buscaremos o desenvolvimento de longo prazo, a taxas elevadas, social e ambientalmente sustentáveis. Para isso zelaremos pela poupança pública.
Zelaremos pela meritocracia no funcionalismo e pela excelência do serviço público. Zelarei pelo aperfeiçoamento de todos os mecanismos que liberem a capacidade empreendedora de nosso empresariado e de nosso povo. Valorizarei o Micro Empreendedor Individual, para formalizar milhões de negócios individuais ou familiares, ampliarei os limites do Supersimples e construirei modernos mecanismos de aperfeiçoamento econômico, como fez nosso governo na construção civil, no setor elétrico, na lei de recuperação de empresas, entre outros.
As agências reguladoras terão todo respaldo para atuar com determinação e autonomia, voltadas para a promoção da inovação, da saudável concorrência e da efetividade dos setores regulados.
Apresentaremos sempre com clareza nossos planos de ação governamental. Levaremos ao debate público as grandes questões nacionais. Trataremos sempre com transparência nossas metas, nossos resultados, nossas dificuldades.
Mas acima de tudo quero reafirmar nosso compromisso com a estabilidade da economia e das regras econômicas, dos contratos firmados e das conquistas estabelecidas.
Trataremos os recursos provenientes de nossas riquezas sempre com pensamento de longo prazo. Por isso trabalharei no Congresso pela aprovação do Fundo Social do Pré-Sal. Por meio dele queremos realizar muitos de nossos objetivos sociais.
Recusaremos o gasto efêmero que deixa para as futuras gerações apenas as dívidas e a desesperança.
O Fundo Social é mecanismo de poupança de longo prazo, para apoiar as atuais e futuras gerações. Ele é o mais importante fruto do novo modelo que propusemos para a exploração do pré-sal, que reserva à Nação e ao povo a parcela mais importante dessas riquezas.
Definitivamente, não alienaremos nossas riquezas para deixar ao povo só migalhas. Me comprometi nesta campanha com a qualificação da Educação e dos Serviços de Saúde. Me comprometi também com a melhoria da segurança pública. Com o combate às drogas que infelicitam nossas famílias.
Reafirmo aqui estes compromissos. Nomearei ministros e equipes de primeira qualidade para realizar esses objetivos. Mas acompanharei pessoalmente estas áreas capitais para o desenvolvimento de nosso povo.
A visão moderna do desenvolvimento econômico é aquela que valoriza o trabalhador e sua família, o cidadão e sua comunidade, oferecendo acesso a educação e saúde de qualidade. É aquela que convive com o meio ambiente sem agredí-lo e sem criar passivos maiores que as conquistas do próprio desenvolvimento.
Não pretendo me estender aqui, neste primeiro pronunciamento ao país, mas quero registrar que todos os compromissos que assumi, perseguirei de forma dedicada e carinhosa. Disse na campanha que os mais necessitados, as crianças, os jovens, as pessoas com deficiência, o trabalhador desempregado, o idoso teriam toda minha atenção. Reafirmo aqui este compromisso.
Fui eleita com uma coligação de dez partidos e com apoio de lideranças de vários outros partidos. Vou com eles construir um governo onde a capacidade profissional, a liderança e a disposição de servir ao país será o critério fundamental.
Vou valorizar os quadros profissionais da administração pública, independente de filiação partidária.
Dirijo-me também aos partidos de oposição e aos setores da sociedade que não estiveram conosco nesta caminhada. Estendo minha mão a eles. De minha parte não haverá discriminação, privilégios ou compadrio.
A partir de minha posse serei presidenta de todos os brasileiros e brasileiras, respeitando as diferenças de opinião, de crença e de orientação política.
Nosso país precisa ainda melhorar a conduta e a qualidade da política. Quero empenhar-me, junto com todos os partidos, numa reforma política que eleve os valores republicanos, avançando em nossa jovem democracia.
Ao mesmo tempo, afirmo com clareza que valorizarei a transparência na administração pública. Não haverá compromisso com o erro, o desvio e o malfeito. Serei rígida na defesa do interesse público em todos os níveis de meu governo. Os órgãos de controle e de fiscalização trabalharão com meu respaldo, sem jamais perseguir adversários ou proteger amigos.
Deixei para o final os meus agradecimentos, pois quero destacá-los. Primeiro, ao povo que me dedicou seu apoio. Serei eternamente grata pela oportunidade única de servir ao meu país no seu mais alto posto. Prometo devolver em dobro todo o carinho recebido, em todos os lugares que passei.
Mas agradeço respeitosamente também aqueles que votaram no primeiro e no segundo turno em outros candidatos ou candidatas. Eles também fizeram valer a festa da democracia.
Agradeço as lideranças partidárias que me apoiaram e comandaram esta jornada, meus assessores, minhas equipes de trabalho e todos os que dedicaram meses inteiros a esse árduo trabalho. Agradeço a imprensa brasileira e estrangeira que aqui atua e cada um de seus profissionais pela cobertura do processo eleitoral.
Não nego a vocês que, por vezes, algumas das coisas difundidas me deixaram triste. Mas quem, como eu, lutou pela democracia e pelo direito de livre opinião arriscando a vida; quem, como eu e tantos outros que não estão mais entre nós, dedicamos toda nossa juventude ao direito de expressão, nós somos naturalmente amantes da liberdade. Por isso, não carregarei nenhum ressentimento.
Disse e repito que prefiro o barulho da imprensa livre ao silencio das ditaduras. As criticas do jornalismo livre ajudam ao pais e são essenciais aos governos democráticos, apontando erros e trazendo o necessário contraditório.
Agradeço muito especialmente ao presidente Lula. Ter a honra de seu apoio, ter o privilégio de sua convivência, ter aprendido com sua imensa sabedoria, são coisas que se guarda para a vida toda. Conviver durante todos estes anos com ele me deu a exata dimensão do governante justo e do líder apaixonado por seu pais e por sua gente. A alegria que sinto pela minha vitória se mistura com a emoção da sua despedida.
Sei que um líder como Lula nunca estará longe de seu povo e de cada um de nós. Baterei muito a sua porta e, tenho certeza, que a encontrarei sempre aberta. Sei que a distância de um cargo nada significa para um homem de tamanha grandeza e generosidade. A tarefa de sucedê-lo é difícil e desafiadora. Mas saberei honrar seu legado. Saberei consolidar e avançar sua obra.
Aprendi com ele que quando se governa pensando no interesse público e nos mais necessitados uma imensa força brota do nosso povo. Uma força que leva o país para frente e ajuda a vencer os maiores desafios.
Passada a eleição agora é hora de trabalho. Passado o debate de projetos agora é hora de união. União pela educação, união pelo desenvolvimento, união pelo país. Junto comigo foram eleitos novos governadores, deputados, senadores. Ao parabenizá-los, convido a todos, independente de cor partidária, para uma ação determinada pelo futuro de nosso país.
Sempre com a convicção de que a Nação Brasileira será exatamente do tamanho daquilo que, juntos, fizermos por ela.


Muito obrigada.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Pra frente com Dilma 13!

Caro Leitor reproduzimos aqui o manifesto dos artista e intelectuais pró-Dilma, são intelectuais e artistas que enxergam na candidatura da Petista, a única capaz de continuar os avanços em voga no nosso país.



Manifesto de artistas e intelectuais Pró-Dilma.

Leonardo Boff, Chico Buarque de Holanda, Oscar Niemeyer, Beth Carvalho, Marieta Severo...


Nós, que no primeiro turno votamos em distintos candidatos e em diferentes partidos, nos unimos para apoiar Dilma Rousseff.
Fazemos isso por sentir que é nosso dever somar forças para garantir os avanços alcançados. Para prosseguirmos juntos na construção de um país capaz de um crescimento econômico que signifique desenvolvimento para todos, que preserve os bens e serviços da natureza, um país socialmente justo, que continue acelerando a inclusão social, que consolide, soberano, sua nova posição no cenário internacional.
Um país que priorize a educação, a cultura, a sustentabilidade, a erradicação da miséria e da desiguladade social. Um país que preserve sua dignidade reconquistada.
Entendemos que essas são condições essenciais para que seja possível atender às necessidades básicas do povo, fortalecer a cidadania, assegurar a cada brasileiro seus direitos fundamentais.
Entendemos que é essencial seguir reconstruindo o Estado, para garantir o desenvolvimento sustentável, com justiça social e projeção de uma política externa soberana e solidária.
Entendemos que, muito mais que uma candidatura, o que está em jogo é o que foi conquistado.
Por tudo isso, declaramos, em conjunto, o apoio a Dilma Rousseff. É hora de unir nossas forças no segundo turno para garantir as conquistas e continuarmos na direção de uma sociedade justa, solidária e soberana.



Leonardo Boff
Chico Buarque de Holanda
Oscar Niemeyer

Aderbal Freire Filho – diretor de teatro

Alcides Nogueira - dramaturgo e roteirista

Alcione – cantora

Aldir Blanc – compositor e escritor

Álvaro Caldas - jornalista

André Klotzel - cineasta

André Luiz Oliveira – cineasta

Anne Pinheiro Guimarães - cineasta

Antonio Grassi - ator

Argemiro Ferreira – jornalista

Armando Freitas Filho - poeta

Beth Carvalho - cantora

Beth Formaggini - cineasta

Carlos Augusto Brandão - crítico de cinema

Carlos Brandão

Celso Frateschi – ator e diretor

Chico Cesar – cantor e compositor

Chico Diaz – ator

Claudia Furiati - historiadora e escritora

Cláudio Baltar - diretor

Cristina Buarque de Hollanda - cantora

Daniel Sroulevich - produtor cultural

Daniel Souza - designer e empresário

Dau Bastos

Débora Duboc - atriz

Dira Paes - atriz

Domingos de Oliveira – diretor teatral, cineasta

Edgar Vasques - cartunista

Ednardo – cantor

Eduardo A. Russo - crítico de cinema

Eduardo Figueiredo - produtor teatral

Eric Nepomuceno – jornalista e escritor

Eryk Rocha - cineasta

Felipe Radicetti - compositor

Geraldo Moraes - cineasta

Geraldo Sarno – cineasta

Helena Sroulevich – produtora cultural

Helvécio Ratton - cineasta

Hermano Figueiredo - cineasta e cineclubista

Hugo Carvana – ator e cineasta

Janaina Diniz - cineasta

Jesus Chediak – cineasta e produtor cultural

João Bosco – cantor e compositor

João Carlos Couto - dramaturgo e produtor teatral
Joel Pizzini - cineasta

Jorge Furtado - cineasta

José Joffily – cineasta

José Roberto Filippelli

Karen Acioly – diretora teatral

Leopoldo Nunes - cineasta e agente cultural

Lucélia Santos - atriz

Lucia Murat – cineasta

Lúcia Rocha - curadora do Tempo Glauber

Lucília Garcez - escritora

Lucy Barreto - produtora

Luiz Antonio de Assis Brasil - escritor

Luiz Carlos Barreto - produtor

Luiz F. Taranto - jornalista e cineasta

Luiz Fernando Lobo - diretor artístico e ator

Luiz Fernando Lobo – diretor teatral

Manfredo Caldas - cineasta

Marcelo Laffitte - cineasta

Marcos Souza – músico e jornalista

Mariana Lima - atriz

Marieta Severo - atriz

Marília Alvim - cineasta

Mario Prata - escritor e dramaturgo

Marquinhos de Oswaldo Cruz

Maurice Capovilla – cineasta

Maurício Machado - ator

Miguel Paiva – escritor e humorista

Miúcha - cantora

Monarco - compositor

Monique Gardenberg - cineasta e diretora de teatro

Murilo Salles - cineasta

Nelson Sargento - compositor

Nei Lopes – compositor e escritor

Noilton Nunes - cineasta

Orã Figueiredo – ator

Otto - cantor e compositor

Paloma Rocha - cineasta

Paula Gaitán - cineasta e artista plástica

Paulo Betti - ator
Paulo Halm – roteirista e cineasta

Pedro Cardoso - ator

Raquel Karro – atriz

Ricardo Cota - Secretário de Comunicação do Governo do RJ

Ricardo Cravo Albin – jornalista, historiador e pesquisador da MPB

Ricardo Gontijo – jornalista

Roberto Berliner - cineasta

Roberto Gervitz - cineasta

Roberval Duarte - cineasta e produtor cultural

Rodrigo Targino - cineasta

Rogério Correa - cineasta

Rosa d`Aguiar Furtado – jornalista, tradutora (viúva de Celso Furtado)

Rosemary – cantora

Rosemberg Cariry - cineasta

Rubens Rewald

Ruth Rocha – escritora

Ruy Guerra - cineasta

Sandra Werneck - cineasta

Sara Rocha - produtora de cinema

Sérgio Sá Leitão - cineasta e administrador público

Silvia Buarque de Hollanda - atriz

Silviano Santiago – escritor

Sylvia Moreira - arquiteta, cenógrafa

Tata Amaral - cineasta

Tia Surica -sambista

Toni Venturi - cineasta

Tuca Moraes – atriz e produtura

Vania Cattani - cineasta
Vicente Amorim - cineasta

Vinícius Reis - cineasta

Vladimir Carvalho – cineasta

Wagner Tiso - músico

Walter Carvalho - cineasta

Walter Lima Júnior - cineasta

Wolney Oliveira – cineasta

Ziraldo – desenhista, escritor, pintor

Frei Betto

Emir Sader

Álvaro Caldas - jornalista

Ricardo Gontijo – jornalista

Regina Zappa – jornalista e escritora

Padre Ricardo Rezende

Paulo Sergio Niemeyer

Vera Niemeyer

Tulio Mariante - designer













Para o Brasil Seguir Mudando!

Chega de tanta mentira, Esse Serra é um tremendo pilantra, por isso nós trabalhadores do Brasil precisamos nos unir e conquistar mais uma vitória dos trabalhadores e trabalhadoras do nosso país.



Segue uma matéria sobre o apoio das maiores centrais de trabalhadores do Brasil, que apoiam e lutam para que os tucanos entreguistas e traidores da nação brasileira não voltem ao poder.



Trabalhadores iniciam ofensiva para garantir vitória de Dilma no segundo turno.
As seis maiores centrais sindicais do país dão largada nesta quinta-feira (14) à campanha pela eleição de Dilma Rousseff (PT).




Os dirigentes sindicais intensificaram o contato com integrantes do comitê eleitoral de Dilma, definindo dois eixos de atuação: negociar com o governo o reajuste real do salário mínimo no ano que vem e iniciar desde já a defesa da candidatura.

Em reunião realizada ontem (13), em São Paulo, representantes das seis entidades e de movimentos sociais acordaram em iniciar hoje uma larga campanha de rua.
A partir desta quinta, duas turmas de sindicalistas se revezarão em São Paulo, das 7h às 14h e daí às 19h, percorrendo pontos públicos como praças e estações de metrô com panfletos e jornais.

Na sexta-feira (15), as centrais participarão de comício da campanha de Dilma em São Miguel Paulista (SP) onde entregarão à candidata a "Agenda da classe trabalhadora", documento aprovado em assembleia promovida no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, para cerca de 23 mil sindicalistas presentes.

O documento, originalmente idealizado para ser entregue a todos os candidatos, só chegará a Dilma. Artur Henrique, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), a maior do país, resume: "ela é a única capaz de encampar as necessidades da classe trabalhadora, então não faz sentido entregar o documento a quem não fará nada com ele".
A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) já anuncia em seu portal: "CTB é Dilma no 2º turno", em nota de convocatória para o comício pró Dilma que acontecerá nesta sexta-feira (15), em São Paulo. O ato ocorrerá na Praça do Forró, em São Miguel Paulista e contará com a presença da candidata Dilma Rousseff, que já confirmou presença.
A campanha que as centrais iniciam esta semana em São Paulo contará com arsenal de peso. A área de comunicação da Força Sindical têm pronto um jornal que será disparado para sindicatos e em pontos públicos em que Paulinho, quarto deputado federal mais votado em São Paulo, com 267 mil votos, surge defendendo voto em Dilma. O jornal, que terá circulação de 5 milhões de exemplares, contará também com textos que "desestimulam o voto" em Serra. O jornal será começará a ser impresso hoje. A CUT também prepara jornal próprio.
"Essas promessas do Serra são pura demagogia. Todo mundo sabe que ele não gosta de trabalhador e nosso papel, agora, é informar a classe trabalhadora disso", diz Paulinho da Força.

Abaixo a hipocrisia da Direita Golpista!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Agradecimentos e Caminhada Rumo a Vitória de Dilma 13

Car@s companheir@s,

Venho neste momento agradecer a todos que acreditaram em nossas propostas, em nosso trabalho e confirmaram no último dia 3 de outubro seu voto nos Companheiros Antonio Carlos Deputado Estadual e Artur Bruno Deputado Federal. Obrigado pela confiança e pelo respeito e é com a alegria do dever cumprido e da certeza da lealdade daqueles que acreditam e constroem um Ceará e um Brasil mais justo, que expresso minha felicidade pela votação dos companheiros e pela derrota daquele que era o maior entrave político do povo cearense, o Ex-Senador, Tasso Jereissati e o melhor ele perdeu a vaga para o PT, o verdadeiro PT, que mudou a vida dos brasileiros.

E agora é hora da arrancada final, rumo ao Segundo Turno, é necessário romper as dificuldades, as barreiras e juntos continuarmos o projeto do companheiro Lula, cada vez mais sólido e longe do fantasma neoliberal representado pelo candidato Tucano, José Serra, peguemos nossas bandeiras, coloquemos os adesivos no carro e vamos as ruas gritar. Gritar que o povo brasileiro não é besta e não quer voltar ao doloroso passado do governo FHC.

Basta das mentiras da mídia golpista, basta de calúnias, basta de querer enganar nossa gente!

Vamos juntos rumo a vitória e a consolidação do projeto de mudança do nosso Brasil.

sábado, 14 de agosto de 2010

Dilma vencerá no primeiro turno!


Vale a pena Ler.
Pesquisadores concordes.
Sensus, Ibope e Vox Populi pela voz do seus diretores avisam: sim, Dilma pode vencer no 1º turno
Os três mais importantes institutos de pesquisa do País acertaram os ponteiros: Dilma Rousseff está à frente na corrida presidencial e, mais que isso, projeta a possibili-dade- de resolver a eleição já no primeiro turno.
Nas últimas duas semanas, a intenção de voto projetada pelo Vox Populi, Ibope e Sensus indica o crescimento da candidata do PT e, por outro lado, mostra a estagnação ou queda nos índices do candidato do PSDB.
A pergunta, então, irrompe contra as vontades estabelecidas: a eleição pode mesmo terminar no primeiro turno com a vitória de Dilma?
O colunista conversou com João Francisco Meira, do Vox Populi, Carlos Augusto Montenegro, do Ibope, e Ricardo Guedes, do Sensus. Todos responderam “sim”, com maior ou menor ênfase.
Em março, durante reunião da Associação Brasileira de Pesquisas, Meira abalou a estabilidade bem comportada da reunião e anunciou que vários fatores projetavam a possibilidade de a candidata do PT se eleger no primeiro turno.
Ele agora consolida a posição: “Dilma pode ganhar no primeiro turno. Os fatores que informam a decisão do eleitor a favorecem amplamente. Eles existem há longo tempo e estão se consolidando de tal maneira que somente uma mudança radical alteraria isso. São cinco esses fatores: a satisfação da sociedade com a situação econômica; a satisfação com o governo; a admiração pelo presidente da República; a identidade partidária; e o tempo de antena, ou seja, a influência do rádio e da televisão na campanha eleitoral.
Para ele, o favoritismo de Dilma tirou até mesmo a competitividade da eleição.
Carlos Augusto Montenegro, do Ibope, fala abertamente, pela primeira vez, sobre a possibilidade de a eleição ser decidida em um turno só e a favor de Dilma.
“A eleição pode terminar no primeiro turno. Mas essa resposta só pode ser dada com mais segurança duas semanas após o início do horário eleitoral. Os programas de rádio e televisão, além dos debates, com a repercussão que geram, podem provocar mudanças.
A possibilidade de Dilma vencer no primeiro turno existe. Ela está com todos os indicadores em alta e os resultados de intenção de voto nela no Sudeste são fundamentais para isso.
A virada em Minas, onde ela passou a ter 10 pontos de frente; a diferença de 19 pontos que abriu no Rio e, finalmente, a redução da vantagem que Serra tinha em São Paulo, que já foi de 25 pontos e hoje é de 11 pontos. “Isso pode determinar a vitória dela já no primeiro turno”, afirma Montenegro.
Ricardo Guedes, que divulgou nova pesquisa com Dilma 10 pontos à frente de Serra, diz que a hipótese de a petista vencer no primeiro turno “não pode mais ser desconsiderada”.
Guedes aponta um número fortíssimo da pesquisa nessa direção: ela tem 48,5% dos votos válidos. Muito próximo dos 50% (mais 1 voto) que decretariam a vitória no primeiro turno.
O representante do Sensus não acredita que o rádio e a televisão possam alterar essa tendência. Ao contrário, considera que o horário eleitoral aumentará a possibilidade de Dilma. E explica a razão: “O que hoje os eleitores do Sul e do Norte, do Leste, Oeste e Centro-Oeste
conhecem em parte eles conhecerão na totalidade. Eu me refiro aos feitos de uma administração com aprovação extremamente elevada”.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Reflexões sobre as decisões que mudam vidas!

As lutas políticas são muitas, a vida de milhões de pessoas em jogo, e infelizmente a maioria daqueles que estão a frente do processo não se sensibilizam com as dores e as necessidades da maioria esmagadora de pessoas que compõem este país, com suas multiplicidades, esse arco-íris de cores em rostos suados, honestos e pouco cuidados, porém vibrantes e cheios de vida. Com dúvidas, mas cheios de vontade de ver um mundo melhor.

Mas precisamos nos conscientizar, nós que sofremos ao ver as coisas como estão precisamos juntos unir forças, construir uma nova forma de ver e agir na política e colocar as pessoas de bem no poder. Não aceitar o discusso fatalista de que todos são corruptos e que não tem jeito. Tem jeito sim, a situação é clara e evidente, precisamos mudar e a mudança deve partir de nós mesmos. Constituir um processo político onde a compra de votos e a corrupção eleitoral sejam expurgadas da sociedade brasileira e possamos ter consciência do nosso papel de construtores, pois neste processo somos culpados e vítimas, então lutemos para não sermos mais vitimados e não cometamos os mesmos erros.

Por isso é necesssário escolhermos bem nossos representantes e partirmos para um projeto de desenvolvimento, melhorando a vida das pessoas, principalmente os injustiçados. Lutar em prol da justiça, não a justiça burguesa, reprodutora do capital, mas uma justiça justa na sua essência, capaz de romper com o egoísmo e o orgulho que corrompe o coração dos homens que pautam sua vida na construção de riquezas efêmeras e que não enxergam seu semelhante como tal e sim como uma massa de manobra.

Avante, com nossos corações carregados de amor e ternura, conscientes da árdua batalha que teremos pela frente, mas com fé na força Divina que nos rege e em nossa capacidade de lutar e fazer com zelo nossa parte, pois a fé sem ação é nula. Por isso Lutaremos com Todos e por Todos!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

A importância de escolher bem seu candidato!

Ao ler no último domingo matéria publicada no jornal "O Povo", intitulada: "Você já se arrependeu do seu voto?", não tive como não parar e refletir sobre o processo eleitoral que se avizinha, a importância que este tem para o desenvolvimento do país e para o povo brasileiro, não apenas por ser uma eleição plebiscitária entre PT e PSDB, mas por representar quatro anos de vida para nossa gente tão sofrida. Mas tal assunto abordaremos depois.
A matéria traz pontos chaves elencados pelos próprios eleitores, muitos deles arrependidos e desiludidos com as escolhas feitas e descrentes no processo democrático, mas não assumindo totalmente a culpa, sempre delegando-a ao candidato, que foi este último quem o enganou, sem fazer uma reflexão mais profunda do processo eleitoral e do período posterior, ou seja, acompanhar o que fez ou deixou de fazer o candidato escolhido.
O mais interessante porém, foram dicas deixadas pelo jornal, com o objetivo de ajudar o eleitor na escolha de seus candidatos para a próxima eleição. Destacamos aqui algumas: 

1 - Conhecer as propostas do candidato, ficar de olho nos planos de governo, ver se as propostas apresentadas estão dentro das reais necessidades do povo e não fogem a realidade;
2 - Conhecer os candidatos e seu histórico, estudar o passado dele, saber em que lutas ele se engajou, se ele é envolvido em escândalos de corrupção ou se foi omisso em assuntos do interesse do povo;
3 - Observar se o candidato tem ficha limpa, ver se o candidato não apresenta processos ou se envolveu em desvio de recursos públicos, enfim, que seja uma pessoa idônea;
4 - Conhecer a atuação parlamentar, o voto para deputado estadual e federal acaba sendo o mais difícil, pois o número de candidatos é maior. Por isso ver o histórico do parlamentar, os seus projetos, suas iniciativas é uma boa para não errar;
5 - Não trocar ou vender o voto, esta dica é bem básica para o eleitor, apesar de ser muito descumprida Brasil afora, os candidatos que se apegam a este tipo de política já mostram de cara sua falta de preocupação com a coisa pública, com bem estar do povo.

Essas são boas dicas que somadas a uma consciência tranquila e um sentimento de ver as coisas realmente mudarem podem contribuir para que os próximos quatro anos sejam satisfatórios. E mais cobrar do candidato depois de eleito as propostas apresentadas é fundamental.

Precisamos sair da busca de culpados e votar correto, fortalecendo o processo democrático e assim poderemos ter dias melhores nos serviços públicos do nosso município, estado e país.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

I ENCONTRO DAS JUVENTUDES DE PACAJUS.

Desde que resolvemos entrar na luta política sempre tivemos como objetivo primordial o bem estar das pessoas, construir no hoje dias melhores para nossa gente, abandonar os individualismos de pequenos grupos e poder construir junto com a massa,relegada a segundo plano, um novo tempo, pautado na sociedade da ética, da moral, abandonando os sentimentos bárbaros e vis do materialismo.

Nossas principais linhas de ações como político detentor de um mandato, na Câmara Municipal, tem sido em prol do bom uso dos recursos públicos, combatendo a corrupção, de uma educação de qualidade e de nossas crianças e jovens, pois estes, são o nosso futuro e precisamos prepará-los agora para que possam ser responsáveis , honestos e homens de bem no futuro, futuro esse que não demorará a chegar.

No último dia 19 de junho realizamos o I Encontro das Juventudes de Pacajus, uma ação do nosso mandato parlamentar, com o objetivo de reunir jovens de diversos setores e discutir e elaborar política públicas para nossa juventude. O intitulamos de encontro das juventudes pois a juventude é composta por diversos segmentos e cada um tem suas peculiaridades, seus objetivos e suas lutas.

Contamos com a presença de mais de cem jovens de segmentos como: Grupos de capoeira, skate, hip hop, grafite, futebol, dança, músicos, atores da terra, LGBT, entre outros. O evento iniciou-se as 8 da manhã e foi até as 14 horas, com apresentações artísticas, culturais e esportivas. E muitas discussões sobre as perspectivas das juventudes nas diversas áreas, destacamos os seguintes temas: Educação; Cultura; Esporte, saúde, lazer e tempo livre; Meio Ambiente e sustentabilidade. Com foco no protagonismo juvenil e na participação ativa dos jovens na construção de dias melhores em nossa cidade.

Deste encontro retiramos uma carta de intenções, que será entregue as diversas esferas de poder, contando com o resumo dos debates e as lutas de nossas juventudes.
Se você quiser poderá receber cópias desta carta e ajudar a divulgá-la, basta comentar de deixar seu e-mail, ou se preferir, no e-mail: professorglauber13500@hotmail.com




quarta-feira, 30 de junho de 2010

Seguindo em frente.

"O fardo se torna menos pesado, quanto se olha do alto do que quando se curva a fronte para o chão". Gosto muito desta frase, me faz refletir sobre a nossa missão nesse mundo, e recarregar as baterias, ver que todo problema, por maior que seja sempre tem uma solução.

Em nossa cidade temos visto um tempo de bárbarie, um governo incapaz de se sensibilizar com as necessidades mais básicas do ser humano. Voltado para o individualismo e sonegando o direito daqueles que buscam e constroem no dia-a-dia uma sociedade mais justa e igualitária para nosso povo. Os verdadeiros construtores de um Pacajus melhor são anônimos, Marias, Josés, Paulos e Franciscos, que trabalham de sol a sol por um bocado a mais em seus pratos, para melhorar a vida dos filhos e que são marginalizados pelo poder público que só quer as benesses para uma pequena parcela, que se atola no luxo desenfreado enquanto a maioria sofre com as sobras. É chegada a hora da consciência onde todos, ricos e pobres, brancos e negros se dêem as mãos e possam juntos dá um grito de independência e possam dizer em uníssono: Chega, queremos respeito, queremos ser tratados como gente. Gente que trabalha, que constroe, que luta por dias melhores e que também quer ser respeitada, que sabe seu papel de protagonista neste cenário, que cansou de só ver o que é seu ser levado embora.

Não queremos mais achar que isso é culpa do acaso, que tem que ser assim mesmo, que se está assim é porque Deus quer. Mentira, Deus não criou seus filhos para viver na miséria, nas sobras, mas também não lhe dá tudo é necessário consquistar, tens tua vida, tua saúde, tua vontade de vencer, constroe tu mesmo teu destino, baseia tua vida no amor ao próximo, na vida coletiva e colherás teus frutos.

Em Pacajus precisamos disso, construir dias melhores, abandonando o egoísmo, o orgulho e crescer juntos como povo, como cidade, como irmãos.