SEJAM BEM VINDOS

"Caros companheiros, esse espaço é dedicado a textos políticos, históricos e filosóficos como também para as ações do Nosso Mandato Popular.
Leia, discuta, critique e divulgue nossa luta."
Profº Glauber Robson

Acompanhe o Mandato do Prof. Glauber no YouTube

Loading...

sábado, 28 de maio de 2011

É preciso ter esperança. Eu tenho e Você?



Sempre que vou a lugares públicos em nossa cidade, seja no supermercado, na rua, na fila do banco ou escola, sou abordado por alguém que me pergunta muitas vezes desesperados, sobre a situação pela qual passa nossa amada cidade de Pacajus. São reclamações sobre os mais diversos setores da administração pública, desde a situação nas ruas esburacadas, passando pela desorganização e abandono do hospital, até a merenda escolar de péssima qualidade, para não esquecer da corrupção galopante nestas terras. E os rostos estão sempre desesperados, desolados, olhares sem esperança e realmente o quadro não é bom é desesperador mesmo.

Mas tenho refletido sobre a atual situação de nossa terra e cheguei a uma conclusão, conclusão que pode ser definida nesta frase: "Quando as coisas ficam tão ruins, parecendo sem solução não é o fim de tudo, é o fim de um ciclo, o fim da tempestade e o recomeço, para uma bonanza." E é carregado de esperança que sigo, esperança não nesta gestão que aí está, nem muito menos nas velhas raposas do passado que tentam se reagrupar em nosso município, de um falso amor por nossa cidade, mas esperança em uma nova geração que possa pensar nossa cidade para as próximas décadas, precisamos de uma gestão que respeite nossa gente, nosso povo trabalhador, que olhe para eles não apenas como meros eleitores, mas sim como o maior patrimônio da cidade. É isso que se espera de um prefeito, alguém que respeite seu povo, que o veja como seu maior patrimônio, enfim um governante legítimo que possa cumprir seu papel.

Creio que meu Pacajus vive o pior momento de sua história, mas que seja como uma noite de trevas que em breve vai passar e nós possamos ver um amanhecer, uma aurora que traga a luz e a paz para essa terra abençoada de boas e trabalhadoras pessoas.


Eu sigo acreditando que podemos construir uma nova e bela cidade, 
EU ACREDITO QUE PODEMOS MUDAR!

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Ceará Sporting Clube.

Que o futebol faz parte da cultura brasileira ninguém duvida, domina o imaginário de todos, de crianças a adultos, mas é preciso compreender que o futebol é mais do que isso, é um mundo. Um mundo que movimenta bilhões de dólares em todo mundo, por isso é amado por muitos, pelos mais diferentes "motivos".

Em nosso estado temos alguns clubes que se destacam no cenário, atenção maior para os grandes rivais Ceará e Fortaleza. O Vozão, o Mais Querido, como é conhecido é o clube da massa, ou seja, da classe proletariada do Estado e é assim desde sua origem, criado em Porangabuçu que nos idos da primeira década do século XX era um bairro isolado, da classe trabalhadora, dos operários, enfim do povão mesmo. Em meio a tantas incertezas no mundo, no mesmo ano em que foi fundado, o alvinegro de Porangabuçu, o mundo via perplexo o inicio de uma guerra de proporções mundiais, no Brasil nossa república ainda frágil, dava seus primeiros passos e na capital de um dos estados mais pobres e atrasados nascia um clube de futebol que viveria glórias nos gramados, antes mesmos dos grandes palcos: o estádio Presidente Vargas, o PV e o Plácido Castelo, o Castelão eu prefiro chamá-lo de "o Castelo do Vozão". 

Hoje tenho muita honra de ver meu time, na elite do futebol brasileiro, grupo seleto, fechado que valoriza os sulista e as equipes do sudeste. Ver o Ceará na primeira divisão é mais do que futebol, é enxergar a quedra de um paradigma elitista e xenófobo no futebol do nosso país, basta olhar a tabela do Brasileirão, só dois nordestinos, se formos comparar as populações em termos percentuais, o Nordeste teria bem mais representantes, por isso ver o alvinegro lá é motivo de orgulho e resistência de todo um povo que viveu esquecido durante muito tempo por aqueles que governam nosso país. Se você duvida, ou acha que essas palavras são um exagero, veja os comentários feitos por torcedores do Flamengo após a desclassificação perante a "Carroça Desembestada", que foi motivo de chacota e pesados insultos a uma gente que trabalha e vive em condições difíceis, mas que a todos recebe de braços abertos.

Ver o Ceará chegar a semi-final da Copa do Brasil me deixou muito orgulhoso e embora triste com o resultado, não estou decepcionado. Claro que esperava mais, sempre esperamos mais. Mas visto minha camisa preto e branca e saio na rua de cabeça erguida, por que sou um guerreiro alvinegro, só não entro em campo, mas mando minhas energias, de casa ou da arquibancada. Parabéns Ceará, parabéns guerreiros alvinegros e que venha o Brasileirão e Sulamericana. Eu sigo acreditando no meu VOZÃO!

Valeu Mesmo Guerreiros em seus nomes saúdo todos os demais!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Mercados Públicos, São do Povo!


 


No final do  mês de abril em uma medida inconsequente e arbitrária a atual gestão do nosso município enviou a Câmara Municipal um projeto de lei que tinha como objetivo, Privatizar os Mercados Públicos de nossa cidade, os cinco de uma só vez, respectivamente: o do Artesanato, da Alimentação, da Confecção, dos Cereais e das Carnes. Era um duro golpe em mais de 200 permissionários e cerca de mil pessoas que tem suas atividades econômicas ligadas diretamente a existência daqueles locais de vendas. Foi mais uma prova inquestionável da truculência e do desrespeito do atual prefeito para com nossa população, vender um bem público já é por si só uma ação questionável e, quando esse bem infere na vida de milhares de pessoas, torna-se um absurdo. Pois não são apenas os permissionários e seus familiares, tem os clientes que compram mais barato, que tem suas relações comerciais e mais alguns, até relações de amizades que ultrapassam as relações mercantis.

Tal atitude, foi de pronto repudiada por mim, que junto com o companheiro Joseilton, que compõe conosco a oposição ao atual prefeito, mobilizamos os permissionários e a população de Pacajus em um movimento único, que foi capaz de tremer e inquietar toda a cidade, nos mais diversos lugares: da sede a zona rural de nosso amado Pacajus. O povo de nossa terra mostrou força, união e fez tremer as estruturas dominantes desse governo ditatorial, pois é a forma como agiu o mandatário local e os vereadores que o apoiam, foi antidemocrática, não buscou ouvir o povo, principalmente os permissionários dos mercados. Somente depois de uma reunião no dia 21 de abril com os permissionários no CRP, organizada pelos vereadores da oposição, eles se deram conta da burrada que estavam prestes a cometer e em um ato de desespero, chamaram uma reunião, para desfazer aquilo que uma semana antes DEFENDIAM, com unhas e dentes. Mas nossa gente não é besta, tinha a consciência de quem realmente estava do lado deles e superlotou o plenário da Câmara, em um dia histórico, onde o povo unido venceu os poderosos com sua força e união. Esse dia, foi o dia 26 de abril. Dia em que nossa gente mostrou sua força!

Para mim em especial, foi um dia de grande alegria, pois temos tido muitas derrotas na Câmara, derrotas do povo, pois temos levado para o debate naquela casa muitas reinvidicações, para as quais o prefeito tem feito ouvidos de mercador, ignorando-as. Então ver o povo lotar aqueles espaço e sair vitorioso foi para mim um alegria única, fico feliz por termos podido ajudar nossa gente, a vitória foi do povo, nós fomos apenas um instrumento de ajuda nessa luta.
E tenham certeza de que unidos: políticos sérios, comprometidos verdadeiramente com nossa gente e o Povo, o único dono do poder, podem mudar a história de nossa cidade para sempre, para abandonar de vez o passado de tristes notícias de corrupção e desrespeito com nossa gente.

Avante trabalhodores e trabalhadoras do meu Pacajus, a vitória é nossa!

sábado, 21 de maio de 2011

Pacajus 76 Anos de Que?

Chegamos a mais um aniversário de nossa amada cidade, mas infelizmente não temos muito o que comemorar, nos encontramos em um momento nunca visto de tamanho abandono de nosso município. É lamentável que uma cidade que está entre as maiores economias de nosso estado viver de forma tão deplorável. Mais uma vez teremos festas e muitas comemorações, mas o que comemorar? Caro leitor, será que temos algo a comemorar? Nos setores essenciais para nossa cidade como: saúde, educação, moradia, geração de emprego e renda, vivemos um total e completo abandono. Na saúde, basta olhar nosso hospital e os postos de saúde, são um retrato triste e deplorável deste setor tão fundamental para a vida humana. Na educação, nossas escolas são lamentáveis, desde a estrutura física até a merenda para nossas crianças, nada funciona adequadamente, quem tem filhos estudando nelas sabe do que estou falando, o maior exemplo de abandono é o do Colégio Municipal. Na moradia, a atual gestão está em atraso na entrega de mais de 100 casas e despejou em carros de lixo, 70 famílias que ocupavam as casas do Conjunto da Lagoa Seca, é a forma como os mais pobres que não tem o direito básico a um teto são tratados, por essa administração. Na geração de emprego e renda, ficamos nas promessas de empregos, excetuando a Malwee, o que mais gera emprego nestas terras dos Paiacus? Neste aspectos me preocupa a situação dos nossos jovens, para onde vão? Que perspectivas de trabalho, de melhoria de vida? 

Quando falamos de jovens, lembro-me da situação da quadra do Colégio Municipal, mais de dois anos de reformas e nada, lembramos que é a única em zona urbana.

É com muita tristeza que passamos pelos 76 anos de nossa terra, pois não temos nada o que comemorar, mas muito o que refletir, para onde nossa cidade está indo? O que podemos fazer para melhorar? Na minha comunidade posso fazer reuniões de conscientização e criar associações para pressionar a prefeitura?

Estamos juntos na luta por uma cidade melhor para nossa gente, pode sempre contar conosco!